BAHIA: COM MAIS DE 100 MIL VOTOS, ROSEMBERG PINTO É UM FORTE NOME PARA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA

Eleito com 101.945 votos, o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) será um dos nomes mais importantes no novo governo do PT da Bahia.

O deputado é o majoritário absoluto no médio sudoeste, onde ampliou sua votação na região. Comentários de bastidores na capital já especulam de que o nome de Rosemberg é fortíssimo para presidir a Assembleia Legislativa do Estado a partir de 2019.

Em Itapetinga Rosemberg recebeu o apoio do ex-prefeito José Carlos Moura (PT) e também do ex-vice-prefeito Alécio Chaves (PSD), além de outros apoiadores como a Presidente do PT, Sibele Nery, petistas e também profissionais liberais, obtendo 3.294 votos.

Em uma campanha sem dinheiro e sem eventos regados a cerveja, como fizeram outros candidatos, o ex-prefeito avalia como extremamente positiva a votação de Pinto em Itapetinga. Em entrevista nesta terça-feira (09) na rádio Jornal no programa na ‘Hora da Verdade’, Zé Carlos destacou que “o grupo tem que marchar unido rumo a 2020”.

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: DEPUTADO ANTÔNIO BRITO MANTÉM VOTAÇÃO NO MUNICÍPIO

O deputado federal Antônio Brito (PSD) manteve sua votação no município de Itapetinga, no interior da Bahia. Com seu grupo de apoio em 2014 o parlamentar obteve 6.769 votos, já em 2018 a sua votação praticamente se repetiu, sendo 6.378 votos. Ou seja, Brito manteve a casa dos 6 mil votos no município.

Coordenado pelo Presidente do PR, Léo Matos, a campanha de Brito ganhou corpo também com apoio dos ex-vice-prefeitos Alécio Chaves (PSD) e Kátia Espinheira, além dos vereadores Valquírio Lima e Diga Diga, ambos (PR); Zé Antunes (PSC) e Gilmar Piritiba (PSD).

Brito também ainda recebeu apoio dos ex-vereadores Neide da Vila, Nídia Oliveira, Edvaldo Gomes Rodrigues (Diva), João Carlos da Civil, Janísia Amorim e Alfredo Cabral de Assis. Na última segunda-feira (08), o grupo comemorou nas ruas a vitória de Brito, oferecendo um “PAQUETÁ” ao Prefeito Rodrigão de “Salvador” (PMDB) e também para alguns vereadores do PMDB, que juravam de pés juntos apoio ao deputado, mas na hora “H”, pularam fora do barco vitorioso.

Reza a lenda que teve vereador do PMDB que precisou até de “favorzinho na Fundação”, mas acabou mesmo foi levando Brito pra história e preferiu morrer abraçado com Lúcio Vieira Lima (PMDB).

Por Roberto Alves

BAHIA: GOVERNADOR RUI AMPLIA VOTAÇÃO EM ITAPETINGA

Diferente de 2014, quando em Itapetinga o candidato Rui Costa (PT) obteve apenas 8.264 votos e seu adversário, o então candidato Paulo Souto (DEM) teve 22.283; em 2018 a coisa muda de figura: o governador Rui amplia sua votação na cidade e consegue 11.705 votos, enquanto que o candidato José Ronaldo (DEM) tem 13.906.

Em 2014 a diferença entre Paulo Souto e Rui fora de 14.019 votos. Já em 2018 com governador ampliando sua votação no município, essa diferença caiu para apenas 2.201.

Isso em se falando do DEM, tradicional adversário político do PT no estado, o que significa que se fosse qualquer um outro partido, seria derrotado no município pelo governador, principalmente o PMDB do atual Prefeito, que deu apenas 1.432 votos ao seu candidato a governo, João Santana (PMDB).

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: QUASE DERROTADO POR TUCA DA CIVIL, O DEMOCRATAS PRECISA REFLETIR

Por apenas 23 votos Tuca da Civil não derrota o DEM em Itapetinga

Conhecido como candidato “copa do mundo” e que jamais investiu uma agulha em Itapetinga, o deputado estadual Sandro Régis (DEM), que nessas eleições teve o apoio do ex-prefeito José Otávio Curvelo (DEM); do atual vice-prefeito Renan Pereira (DEM) e dos vereadores Naara Duarte (DEM); Anderson da Nova (DEM) e de Fabiano Bahia (DEM), passou vergonha em Itapetinga e teve uma votação chulada, alcançando apenas 1.354 votos, perdendo feio para o candidato do ex-prefeito Zé Carlos (PT) e do ex-vice-prefeito Alécio Chaves (PSD), Rosemberg Pinto (PT), que obteve 3.294 votos.

O DEM de Itapetinga se encolhe e deve fazer uma profunda reflexão sobre o recado das urnas às lideranças locais. Um fator interessante é que o candidato Tuca da Civil (PRB) por pouco não derrota o DEM em Itapetinga. Sozinho, sem dinheiro e sem uma liderança para marchar consigo, Tuca conseguiu obter 1.331 votos, tendo uma diferença de apenas 23 votos para o candidato do Democratas, Sandro Régis. 

O comentário nos bastidores é de que o desgaste do Prefeito acabou atingindo em cheio a turma do DEM, uma vez que em em meio a tantos absurdos que vêm acontecendo na administração e o partido não toma uma decisão oficial de rachar com Prefeito ou então declarar que continuará segurando na alça do caixão da Prefeitura, mesmo sendo um “zero à esquerda” perante a administração municipal.

Prova disso foi o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM), que o Democratas passou o tempo todo anunciando SUPOSTAS emendas para Itapetinga e também não obteve sucesso nas urnas locais, tendo simplesmente 1.572 votos, também sendo derrotado para o federal do ex-prefeito Zé Carlos, o petista Jorge Solla, que obteve 1.761 votos. Para piorar a situação, Aleluia não conseguiu se eleger e nem o seu filho.

Paulo da Geladeira tinha razão. Em resumo: com desgaste do Prefeito que acabou atingindo o DEM, Renan e Dr. José Otávio precisam urgentemente fazer uma cuidadosa e profunda reflexão política.

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: DEPUTADO JORGE SOLLA VENCE CANDIDATO DO PREFEITO

O deputado Jorge Solla (PT) que recebeu o apoio do ex-prefeito José Carlos Moura (PT), abateu o candidato do Prefeito Rodrigo (PMDB), Lúcio Vieira Lima (PMDB), obtendo 1.761 votos; enquanto que o irmão de Geddel recebeu do atual Prefeito apenas 1.231 votos.

Solla ficou a atrás apenas do deputado Antônio Brito (PSD). O deputado petista foi apoiando pelo ex-prefeito Zé Carlos, em uma campanha no corpo a corpo, sem investimentos e sem nenhum grande evento. 

Na Bahia Solla foi o 5º mais votado alcançando 135.657 votos, sendo eleito. Lúcio conseguiu apenas 55.743 e não conseguiu a eleição.

Por Roberto Alves