REPUBLICANISMO, QUE COMBINA COM DEMOCRACIA QUE COMBINA COM CIDADANIA

A Conceituação do termo “República” desde a sua origem na filosofia grega, nos remente ao entendimento daquilo que é público, em essência, é a “Coisa Pública”. Nos regimes democráticos de gestão, durante o processo de escolha dos dirigentes, pressupõe-se que estes, escolhidos pelo povo e em nome deste povo, possam exercer suas ações de gestão pública que devem beneficiar este mesmo povo, a isto chamamos: “Democracia”. Leia Mais…

ITAPETINGA: PROMESSA DE EMPREGO EM CAMPANHA AUMENTA REJEIÇÃO DO PREFEITO

Não é preciso uma pesquisa, basta andar pelas ruas e pelos bairros da cidade para perceber o grande índice de rejeição do Prefeito Rodrigo Hagge (PMDB), POR FALTA DE EMPREGO no município. O principal discurso do então candidato Rodrigo em campanha foi EMPREGO, mas até o momento o atual gestor não conseguiu gerar um só posto de trabalho em Itapetinga, interior da Bahia.

Nas ruas as críticas aumentam a todo instante, onde as pessoas dizem que o Prefeito quando candidato vendeu sonhos nos palanques e depois de eleito veio a frustração da população. Há que aposta de que a REJEIÇÃO DO PREFEITO JÁ ULTRAPASSA  A CASA DOS 70%.

Adriana Bispo, moradora do bairro Nova Itapetinga, disse que se sente traída. “Eu votei pensando que poderia melhorar, pois o que falavam na campanha era que iriam vir fábricas e teriam muitos empregos”, desabafa. Ela está desempregada e é mãe de 4 filhos.

“Fábricas e muitos empregos”, esse era basicamente o discurso dos candidatos na época, alimentando o sonho de uma massa que passou a acreditar. Um ano depois, Itapetinga é uma cidade que praticamente dobrou o número de desempregados. Isso ajuda a explicar o ALTO ÍNDICE DE REJEIÇÃO DO ATUAL PREFEITO.

Em um cenário de desempregados que passa Itapetinga, o Prefeito EMPREGA VÁRIOS PARENTES DE SECRETÁRIOS NA PREFEITURA, deixando inúmeras famílias que poderiam ter um membro ocupando uma dessas vagas, totalmente na miséria. Onde estão os EMPREGOS que foram prometido na campanha, alguém responde???

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: COM MEDO DE CRÍTICAS AO PREFEITO, TARUGÃO SUSPENDE SESSÃO DESTA QUINTA-FEIRA

Quando falamos que essa atual Câmara de vereadores é uma VERDADEIRA BOSTA e se compara ao BANHEIRO DA CENTRAL (foto), ainda têm vereadores que acham ruim. Nesta quinta-feira (23), sem motivo algum TARUGÃO, que não CONHECE uma vírgula do Regimento Interno, suspendeu a sessão.

Para vereadores de oposição, o grupo do Prefeito tá com medo de “apanhar”, no bom sentido: críticas contra o Prefeito, que pipocam por toda cidade e ganham coro na Câmara, através de vereadores como Valdeir Chagas (PDT) e Romildo Teixeira (PSL).

Na quarta-feira (22), tá certo, em detrimento do falecimento da mãe do vereador Anderson da Nova (DEM), a sessão foi suspensa. Nesta quinta a pedido do Presidente da Câmara a secretária ligou para os vereadores, informando que não haveria sessão, simplesmente dizendo ser por conta de uma Conferência Municipal de Educação, que estaria acontecendo na UESB. Quais os vereadores que foram a tal Conferência???  

Será que na próxima semana haverá sessão??? Não estaria na hora de descontar no salário dos vereadores e exigir que os edis cumpram com suas obrigações??? Afinal, é o dinheiro da população. Mas que essa Câmara é uma BOSTA, ISSO É!!!

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: OS EMPREGOS FICARAM NO PALANQUE E VOCÊ FICOU COM CARA DE BURRO

Itapetinga foi enganada, isso é fato. O atual gestor criticou bastante e a proposta de campanha – FÁBRICAS E INDÚSTRIAS para a geração de postos de TRABALHO/EMPREGOS, não saiu do papel. Agora que a população percebeu que não era nada disso, chora o “leite derramado”.

Um ano de administração e o atual gestor NÃO GEROU UM SÓ POSTO DE TRABALHO, isso é algo inédito em uma administração de Itapetinga. Em uma rápida comparação ao primeiro ano de mandato do ex-prefeito José Carlos Moura (PT), com a chegada das primeiras 500 casas do Minha Casa Minha Vida, 900 POSTOS DE TRABALHO foram gerados diretos e indiretamente no município.

FÁBRICAS E INDÚSTRIAS – muito se pregaram nos palanques, agora, esqueceram. Até seria criada a secretaria de Indústria e Comércio, foram palavras de campanha. MAS CADÊ??? O povo quer TRABALHAR. O Prefeito Rodrigo (PMDB) vendeu sonhos à população e agora paga o alto preço, vendo o grande desgaste da sua administração nos quatro pontos da cidade.

É triste o olhar de um povo que acreditou em uma EXPECTATIVA pregada em PALANQUE POLÍTICO. SEU ARLINDO, morador do bairro Nova Itapetinga, desempregado, pai de 5 filhos, foi um dos que acreditou nas palavras do atual Prefeito, em palanque, hoje, a sua frustração é imensa. Mas seu Arlindo vai sobrevivendo com a ajuda de amigos. ONDE ESTÃO AS FÁBRICAS E INDÚSTRIAS, PROMETIDAS NO PALANQUE??? Itapetinga não reagiu, Itapetinga regrediu!

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: UM ANO DE ADMINISTRAÇÃO E ONDE ESTÃO AS FÁBRICAS E AS INDÚSTRIAS???

Nos quatro pontos da cidade a música é uma só: ONDE ESTÃO AS INDÚSTRIAS do Prefeito Rodrigo???, Onde estão os EMPREGOS que Rodrigo iria criar, assim que chegasse à Prefeitura??? CADÊ AS FÁBRICAS, que Rodrigo traria para Itapetinga???

Por que o Prefeito vendeu sonhos para a população de Itapetinga??? Por que o Prefeito que conta com apoio de Geddel Vieira Lima, os deputados Lúcio Vieira Lima e Aleluia e ainda Michel Temer, não consegue gerar um só emprego para Itapetinga???

O que fez Rodrigo pregar em palanque o que ele próprio sabia que não teria como cumprir junto à sociedade??? Por que tirou os direitos dos servidores, como hora extras, diárias, aumento de salário e outras vantagens??? Por que tantos parentes de secretários e de vereadores estão nomeados na Prefeitura??? Por que as CONTAS DE ÁGUA estão vindo mais caras??? Cadê a mudança??? Por que VIRGÍNIA manda na Prefeitura???

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: ADRIANO ANDA SUMIDO DA CENA POLÍTICA

Passado quase um ano do último pleito eleitoral, o segundo colocado nas eleições municipais, Adriano Alcântara (PSDB), anda sumido do cenário político local. Há quem diga que Alcântara sairá candidato a deputado estadual, mas ainda não existe nada confirmado pelo psdbista.

Com a rejeição que o atual gestor vem sofrendo junto à população, o campo político para os oposicionistas começa a se abrir, o que existem motivos de sobra para o segundo colocado se manifestar sobre a atual gestão municipal.

Com seu silêncio, Adriano começa a perder espaço para o grupo do ex-prefeito José Carlos Moura (PT), que de fato, tem mantido acesa a chama da oposição em Itapetinga. Talvez, Alcântara já percebeu que o discurso do “novo” pode não colar mais para o pleito de 2020, visto que a decepção da comunidade é muito grande com o atual chefe do Executivo itapetinguense.

Um ponto que sirva de lição e que os próximos candidatos terão que saber administrar muito bem é o que falar/prometer em palanque. O desgaste do atual Prefeito ainda que praticamente em gestação deixa bem claro que “quem promete é cobrado”, e de imediato. Isso ajuda a entender a quase inexplicável tamanha rejeição do Prefeito Rodrigo (PMDB), junto à população. Frente a tudo isso, Alcântara deveria dar pelo menos um alô e mostrar que está vivo.

Por Roberto Alves

O DEVER DE PAGAR

Agora não adianta chorar o leite derramado. Passado quase um ano da gestão atual, repetir a cantilena, de que encontrou uma herança maldita, e que não vai pagar os servidores, porque o passivo que o município tem com eles é da gestão passada, me parece desarrazoado, visto que, os valores devidos, de horas extras não pagas e seus consectários, são da pessoa jurídica, Município de Itapetinga, e não do gestor de plantão. Na administração publica o governante só pode fazer o que a Lei lhe autoriza, e incorporar as horas extras trabalhadas à remuneração do trabalhador é uma exigência legal imperiosa. Leia Mais…

REFORMA POLÍTICA: PERDE A DEMOCRACIA

Não foi uma reforma política, na melhor acepção da palavra, visto que não se vislumbra nela nenhuma mudança significativa no anacrônico sistema eleitoral vigente, apontado pelos analistas políticos como responsável pelas anomalias dos pleitos eleitorais, principalmente pelo nefasto efeito do poder econômico que escancarou de vez para os mais abastados, com a permissão do chamado autofinanciamento indiscriminado. Leia Mais…

ITAPETINGA: RENAN TÁ QUASE FORA E QUEM DÁ AS CARTAS É VIRGÍNIA

Como vem dando as cartas na Prefeitura, a atuação da MÃE do Prefeito tem causado danos irreversíveis a administração do seu filho. Veja o caso do afastamento do ex-prefeito Dr. José Otávio Curvelo (DEM) e também do próprio vice-prefeito Renan Pereira (DEM). Esse, há muito tempo guardou a vassoura e NUNCA OPINOU EM NADA. A união DEM/PMDB só serviu para “eleger” MICHEL (PMDB) prefeito de Itapetinga, ainda que em TAMANHO MINIATURA (baixinho). Com mais uma “paulada”, será que Dr. José Otávio aprendeu???

Com a “INOCÊNCIA” de Zé Otávio, que acabou misturando ÁGUA COM ÓLEO, colocou também na Prefeitura a “PREFEITA” não eleita, VIRGÍNIA HAGGE, que sempre gozou de tamanha rejeição da população itapetinguense. Como é clássico do PMDB, o golpe foi dado e consumado, sendo a vítima maior o próprio ex-prefeito José Otávio Curvelo e sua trupe, que vivem se lamentando pelas esquinas da vida. O polêmico Paulo da Geladeira (DEM), aliado do vice-prefeito e opositor ferrenho ao atual gestor, se gaba de não ter votado no Prefeito Rodrigo.

As interferências da MÃE do Prefeito na administração não faz nada bem à sociedade, veja que em pouco menos de um ano o Prefeito Rodrigo vem somando a cada dia ALTOS ÍNDICES DE REJEIÇÃO e um desgaste jamais ocorrido com outro gestor do município no mesmo período de tempo. Como colocam os mais entendidos: “tá parecendo final de mandato.”

Outra crise na Prefeitura é o distanciamento de antigos correligionários e a perseguição ao funcionalismo público, onde o Prefeito cortou direitos adquiridos por Lei, como diárias, horas extras, insalubridade, dentre outros. A AUSÊNCIA do Prefeito na Prefeitura, que vive mais em SALVADOR, também é outro fator implicante e que tem desgastado bastante o gestor, além da CORRUPÇÃO envolvendo seus líderes políticos – os Vieira Lima, tendo seu maior líder, Geddel Vieira Lima (PMDB), preso na PAPUDA e a Federal na cola de Lúcio, deputado do Prefeito.

Por Roberto Alves

ITAPETINGA: NUNCA É BOM CONFIAR NO INIMIGO…

Todo mundo sabia, inclusive o próprio José Otávio Curvelo (DEM), que ele seria DESCARTADO por Michel, após as eleições municipais. O ex-prefeito e seus aliados, que depois de ajudarem ao também ex-prefeito Michel (PMDB), seu maior rival e inimigo político, a voltar à Prefeitura – mesmo que em tamanho MINIATURA, foi totalmente DESCARTADO. Ficou feio para Dr. José Otávio, que em tempos de Hagges na Prefeitura, o “ALIADO” e líder do DEM, não APITA em nada.

Nas ruas e redes sociais pessoas ligadas ao ex-prefeito Curvelo, não têm poupado críticas ao “MENINO DAS BOATES DE SALVADOR”. Outro comentário é de que o próprio José Otávio já teria dito para que o vice-prefeito Renan Pereira (DEM), deixasse o governo. Mas há que diga que Renan ainda SUPORTA A MÃE DO MENINO, ao tempo em que espera pelo resultado da eleição do governo do Estado, onde alimenta uma futura e duvidosa vitória de ACM Neto ao Palácio de Ondina.

Mas quem finge mesmo que a coisa tá boa é o “MARRUDO” secretário Municipal de Educação, Geraldo Trindade, que ao se “APAIXONAR” POR MICHEL, a tendência é abandonar o DEM e se filiar ao PMDB. Geraldo visa uma futura candidatura, quem sabe, a prefeito ou até mesmo a uma vice. Vale lembrar, que tempos atrás, Geraldo não poupava adjetivos ao hoje, seu líder, Michel Hagge.

As incontáveis BRIGAS E BARRACOS entre Michel e Zé Otávio, já renderam bordões memoráveis que entraram para a história política de Itapetinga, como “MORREU GABIRABA”, MORREU BACALHAU” “PREFEITO ZÉ MOLÃO”, “PREFEITO RAPADURA”, além de inúmeras acusações – sendo mais da parte de Michel, já que José Otávio é mais centrado e não era de responder ao seu inimigo, do PMDB; enquanto que Michel, “DE FORMAS QUE TOMAVA AS CABECEIRAS” e soltava o verbo. Em uma das raras respostas e críticas de José Otávio ao governo de Michel, o então Pefelista (PFL), na época, lançou essa carta assinada à sociedade. Segue…

Por Roberto Alves