BAHIA: HÁ 38 ANOS UM TRÁGICO ACIDENTE COM HELICÓPTERO TIRAVA A VIDA DO ENTÃO CANDIDATO AO GOVERNO DA BAHIA CLÉRISTON ANDRADE

Hoje, 1° de outubro, faz 38 anos da queda do HELICÓPTERO na Serra da Muquiba no município de Caatiba, no ano de 1982, vitimando o então candidato a governador da Bahia, Clériston Andrade o candidato a vice-governador Rogério Rego; o deputado federal Henrique Brito; o deputado estadual Naomar Alcântara (pai do ex-candidato a prefeito de Itapetinga, Adriano Alcântara); o então presidente do Baneb, Luiz Calmon; os candidatos a deputado estadual e federal: Fernando Presídio e Adauto Pereira; o assessor do candidato a governador, Cesari Casali; o candidato a vice-prefeito de Itapetinga, Fernando Pegoraro Barcelos; o locutor da campanha, João Batista Mendes; os tripulantes do helicóptero, Manuel Veloso (piloto), Marcus Moreira Abdicar (co-piloto) e Sérgio Almeida da Silva (mecânico). Detalhe: Essa tragédia aconteceu numa sexta-feira.

Colocando na primeira pessoa, esse editor Roberto Alves, acrescenta junto ao texto do colega de rádio, Edilson Lima, dizendo que, no ano de 1982, justamente neste dia fatídico, eu com meus 9 anos, morava na zona rural, fazenda do Sr. José Ivo (saudoso), conhecida como o “Bagre ou Jundiá”, acima da fazenda Cachoeira Grande, cheguei a ver esse HELICÓPTERO, quando ele passou muito baixo por cima da casa em que eu morava. O horário era mais ou menos umas 09:00h da manhã.

Para se ter uma ideia, sua altura seria o equivalente a altura do edifício morada real de Itapetinga (um pouco mais alto). Me recordo que conseguir ver as pessoas que estavam no helicóptero, que minutos depois bateria na serra logo à frente. Realmente muito baixo o voo na época.

A tragédia ocorreu provavelmente por volta das 09:30h, não mais que isso. Na época a comitiva do então candidato Clériston Andrade iria à cidade de Caatiba, onde participaria da inauguração de uma agência do Banco do Baneb, logo depois o candidato chegaria à cidade de Itambé, onde era aguardado por um trio em festa nas ruas. A comitiva retornaria a Itapetinga para um grande comício que seria realizado à noite na praça de Táxi (Augusto de Carvalho).

É bom lembrar de que na cidade de Caatiba existe uma praça que leva o nome do saudoso Clériston Andrade, onde contém um busto do então candidato do PDS. O local onde aconteceu o acidente fica na fazenda do pecuarista, o Sr. Zeza Ribeiro, próximo ao povoado de Serra Pelada, município de Caatiba.

Digo aos nossos leitores que temos em nossos arquivos uma série de entrevistas com os candidatos, realizada pelo radialista Antônio Fernandes, da rádio Jornal, no aeroporto de Itapetinga, minutos antes da partida. Temos também a cobertura do ocorrido feita na rádio Jornal também por Antônio Fernandes. Na tragédia morreram 13 pessoas. A missa de 7° dia foi celebrada pelo então Padre René Van Looy. Temos também a gravação completa dessa missa.

Com a morte do então candidato Clériston Andrade – dias antes do pleito – a liderança maior do PDS, Antônio Carlos Magalhães, convidou o ex-prefeito de Feira de Santana, João Durval Carneiro, para ser o candidato, que de imediato aceitou, sendo eleito, já que a morte de Clériston não teria tanta influência na eleição, uma vez que na época todo staff político do PDS repousava sobre os ombros do velho cacique ACM.  

Texto: Edilson Lima e Roberto Alves

2 Comentários para: “BAHIA: HÁ 38 ANOS UM TRÁGICO ACIDENTE COM HELICÓPTERO TIRAVA A VIDA DO ENTÃO CANDIDATO AO GOVERNO DA BAHIA CLÉRISTON ANDRADE

  1. Elza

    Muito triste aquele acidente.
    Eu era uma adolescente jovem, como gostava de política. Onde realizei meu sonho de ter conhecido o saudoso Deputado Federal Henrique Brito.
    Como foi triste a chegada sobre a morte dos tripulantes que estavam naquele helicóptero.
    Como chorei indignada. Sabia que nunca mais veria aquele povo.
    Um abraço.

    Responder
  2. Josafá Souza Costa

    Até hoje sinto uma tristeza muito grande pelo ocorrido pois eu votaria nele e tinha na sua pessoa uma grande admiração como pessoa que seria um grande governador pra nossa Bahia.
    Fiquei desolado e em homenagem a ele,, votei em João Durval.
    Até hoje não entendo porque o destino quis assim.
    Sou de Catolezinho (Cassilândia), sendo que o acidente ocorreu entre Caatiba e Catolezinho. Isto marcou para sempre a minha memoria.
    Eu deixei Cassilândia em 1969, vindo morar em Itapetinga, para onde os restos mortais foram levados afim de serem transportados para Salvador através do aeroporto da cidade.
    Nunca deixei de admirar esse grande homem que foi Clériston Andrade, tendo também a perda de Naomar Alcântara e Henrique Brito, pessoas também da nossa região de Itororó.
    Só a eternidade vai revelar o que ninguém responderá sobre esse dia fatídico.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *